The Harvester - Capítulo 57: Vermes

Tradutor: Ydominuss


O segundo andar era pelo menos duas vezes maior que o primeiro e a cor da iluminação também havia mudado de um tom quente para um mais frio. Quando Rakna desceu a última escada com Pronos em volta do pescoço, o caminho atrás dele foi fechado instantaneamente por uma parede de pedra que descia.

Ele olhou por cima do ombro e cantarolou. Ele examinou o segundo andar com a Visão Fabulosa , até o último detalhe, e tudo era o mesmo acima, exceto pelo tamanho. Ele ficou no lugar por pelo menos um minuto e nada aconteceu, nenhuma parede quebrou ou aranhas rastejando.

Ele então começou a andar pelo corredor com Sonata a postos e seus sentidos reforçados com mana ao mínimo. Quando ele chegou à metade do caminho, ele ouviu um som distinto de clique. Foi seguido por um ruído de trituração.

Várias brechas quadradas apareceram nas paredes e dispararam longos espigões de metal. Rakna casualmente deu um passo para o lado de um, pegou um no ar e desviou outros dois com ele e Sonata.

Ele fez com que parecesse tão consideravelmente fácil que poderia ter desviado a atenção do fato de que as pontas eram rápidas e fortes o suficiente para perfurar as paredes da masmorra por pelo menos meio metro.

"Então, as armadilhas também são uma coisa, hein?" Rakna murmurou e largou a estaca em sua mão. Ele silenciosamente deu outro passo à frente e imediatamente se agachou quando uma estaca passou zunindo acima dele. “Segure firme, garotinho,” ele disse e Pronos acenou com a cabeça.

Enquanto ele ainda estava naquela posição, ele reuniu sua força na parte inferior do corpo e começou a correr a toda velocidade. Vários espinhos saltaram de todos os lados, mas ele se moveu entre eles como se soubesse de onde vinham.

Ele só precisava ouvir os sons vindos dos mecanismos dentro das paredes e a subsequente abertura da parede. Mas ele tinha que admitir, ele não sabia dizer como as armadilhas foram acionadas.

Ele não estava pisando em qualquer tipo de placa de pressão ou qualquer coisa do tipo. 'Talvez um tipo mais sofisticado de sensor de peso? Ou mágica? ' Ele pensou com indiferença enquanto saltava sobre dez flechas que deveriam acertar suas pernas.

E enquanto ele estava no ar, o solo abaixo dele se abriu para revelar um fosso. Não havia picos no fundo, veja bem. Não, não foi nada tão bom assim. Era um líquido verde borbulhante que provavelmente dissolveria dolorosamente todo o seu corpo em questão de segundos.

Rakna observou com um olhar curioso antes de abrir a boca, " Artzpul ." Ele então se moveu como se estivesse pisando no ar e disparou diretamente para o outro lado do fosso.

❮◈❯ Artzpul subiu de nível! ❮◈❯

Ele acenou com a cabeça agradavelmente com a notificação. Essa habilidade tinha muito mais potencial do que apenas ser uma maneira de decolar ou pousar, se usada corretamente. Isso apenas continuou a provar isso.

"Agora," ele semicerrou os olhos para o beco sem saída que estava a apenas cinco metros de distância dele. Ele meditou e puxou um pequeno disco de prata. Ele apertou o botão e calmamente o jogou antes de desfraldar suas asas e se cobrir com elas.

O disco explodiu com o impacto e Rakna fez questão de não ser surpreendido pela onda de choque ao ouvir vários gritos agonizantes, seguidos por um prompt do Sistema informando-o de suas mortes. Quando acabou, ele desembrulhou suas asas e deu uma olhada em seu trabalho.

As paredes laterais foram quebradas e em meio aos escombros, vários monstros parecidos com baratas jaziam mortos no chão. Rakna notou que a parede que ele suspeitava estar bloqueando o caminho para a próxima escada não estava danificada; nem mesmo um arranhão.

'Como esperado,' Rakna pensou então olhou para os buracos nas paredes. Ele podia ver mais daqueles grandes insetos saindo. A explosão matou apenas os mais próximos. Ele suspirou e abriu suas asas.

As penas que compõem as camadas superiores começaram a vibrar antes de se desprender de repente, como se pudessem quebrar as leis da física. Uma dúzia delas levava tiros nas baratas a cada segundo; não deixando nenhuma chance de escapar.

Após vinte segundos, Rakna parou e retraiu suas asas. As paredes e o chão e na frente dele estavam cobertos de penas pretas e prateadas e os insetos estavam todos mortos. A saída então se abriu para revelar a escada para o próximo andar e a mesma mensagem do Sistema que apareceu antes dele.

Ele escolheu não de novo e desceu as escadas, repetindo o mesmo processo com o saque que havia caído ao seu redor. O terceiro andar seguiu o mesmo padrão. Mais uma vez, era maior; duas vezes o tamanho do segundo andar. Nesse ponto, era tão largo quanto uma rodovia de volta à Terra.

"Eu estava pensando," Rakna murmurou enquanto a parede se fechava atrás dele novamente. As paredes também começaram a desabar como no primeiro andar, mas isso não o impediu de expressar seus pensamentos. “Quantos andares este Calabouço tem? É infinito? ” Ele perguntou a si mesmo e, obviamente, Alexa quando ele bateu em uma aranha que vinha para ele com o cabo de Sonata.

[Não é. Porém, existem masmorras que nunca foram totalmente conquistadas, tornando impossível saber quantos andares existem. A mais popular seria a Estrada do Graal no 500º Platô. Até hoje, 126 andares foram explorados e mesmo os anfitriões com melhor classificação não conseguiram ir mais longe.]

"Entendo," Rakna disse inexpressivamente e deu um soco em uma barata enquanto se esquivava de uma flecha disparada de uma armadilha enquanto Pronos exalava uma névoa venenosa roxa que matou os monstros em segundos.

Em suma, este andar era uma espécie de combinação dos outros dois. Os dois passaram por isso como uma brisa e logo, todas as armadilhas foram engatadas e evitadas enquanto os monstros estavam todos mortos.

❮ ◈ ❯

Você completou uma missão! Volte para Gaelius Klein para receber suas recompensas.

---

Você completou o terceiro andar. Você gostaria de sair?

Sim não

❮ ◈ ❯

"Hmm, quantos andares este aqui tem?"

[ Gruta das Sementes foi registrada tendo sete, excluindo o andar principal.]

"Eu vejo. Então, devo ir e ver por mim mesmo ”, disse ele, recusando a solicitação do sistema antes de continuar. Enquanto descia as escadas, seu LH tocou abruptamente e uma tela holográfica com a chamada foi projetada pelos contatos. "Atenda", disse ele e a chamada foi atendida por Alexa.

Três nomes prontamente deslizaram para a periferia de sua visão. "Ei, pessoal, eu encontrei algo", a voz de Allan soou. Ele havia iniciado uma chamada em grupo com os quatro por meio de seus LHs.

"O que é? Uma masmorra? ” A voz de Nyx seguiu enquanto seu nome piscava na projeção.

"Na verdade. Parece ... algum tipo de ruínas. Minha IA fica me dizendo que pode haver algo bom lá, mas há uma espécie de barreira invisível ao redor e diz que não posso entrar sem estar em um grupo de pelo menos três pessoas. Quer dar uma olhada? ”

"Hm, onde é?" Perguntou Flavia.

“É direto para o Leste de onde fizemos o Julgamento. Se você percorrer cerca de três quilômetros, deverá ser capaz de encontrar. ”

“Eu não me importo de ir lá,” Nyx disse.

"Nem eu", Flavia se conformava. "E você, Rakna?"

“Se três é o mínimo, vá lá sem mim. No momento, estou dentro de uma masmorra e não tenho certeza de quanto tempo vou ficar aqui. ”

"Uma masmorra, hein?" Allan murmurou. "Como é? Duro?"

“Não posso tirar conclusões, desde que não me aprofunde. Vamos compartilhar o que descobrimos depois de nos encontrarmos. Se vocês precisarem de mais tempo, me digam. Eu vou fazer o mesmo."

"Tudo bem então. Professora, Nyx, vou esperar aqui até vocês chegarem. "

"Entendido. Dê-me cinco minutos e estarei aí, ”Nyx disse antes de desligar a ligação.

“Vou demorar um pouco mais, mas logo estarei aí também”, disse Flavia e também saiu.

"Vejo você mais tarde, Rak."

Rakna respondeu com um zumbido quando ele alcançou o quarto andar. “Boa sorte para você”, disse ele, e a ligação em grupo foi encerrada. Seu LH foi desligado e ele mudou sua atenção para as grandes criaturas rastejando no teto e nas paredes com suas centenas de pernas.

"Centopeias ... Esse lugar está cheio de vermes como esses?" Rakna pronunciou com alguns traços de repugnância em seu tom. Por outro lado, Pronos parecia completamente revoltado.

Então, em vez de atacar, os longos insetos se enterraram nas paredes, passando por rachaduras no teto. A presença deles diminuiu gradualmente até que Rakna teve que se concentrar apenas para sentir a área geral em que estavam. Alguns segundos depois, ele suspirou e dirigiu Sonata para dentro da parede ao lado dele, sem nem mesmo olhar.

Um grito agonizante ressoou pela pedra e um líquido esverdeado, hemolinfa, derramou quando ele puxou sua arma.

“Isso está começando a ficar incômodo”, ele disse e olhou para Pronos. "Carinha", disse ele e simplesmente apontou para as lacunas que as centopeias haviam usado.

Pronos entendeu imediatamente o que ele quis dizer e rapidamente escorregou pela parede. Ele se dirigiu para uma das rachaduras e uma nuvem de fumaça roxa escapou de sua boca enquanto ele reunia seu mana. Levou apenas alguns segundos antes de liberar um volume significativo de névoa venenosa dentro do espaço oco atrás das paredes do corredor.

Um minuto depois, a notificação do sistema apareceu e a próxima escada foi aberta. Então, Rakna silenciosamente continuou a exploração.

Os próximos três andares foram praticamente da mesma maneira. O quinto andar estava cheio de insetos voadores gigantes que foram rapidamente despachados após o uso da Névoa da Estrela Fria e do veneno de Pronos. O sexto andar tinha armadilhas, mais uma vez, juntamente com dezenas de formigas grandes.

Mas isso ainda não foi suficiente para parar Rakna, que rapidamente procedeu ao sétimo andar, onde todos os monstros e armadilhas foram reciclados para fazer um piso inclusivo maciço. Este levou muito tempo em comparação com o resto, considerando que ele não estava disposto a usar muito poder sobre eles.

No final do dia, ele estava super qualificado para a dificuldade normal deste Calabouço, e o fato de ter alcançado o nível 16 graças aos Dreorins significava que ele nem estava recebendo nenhuma experiência disso.

Depois de quarenta minutos de exploração do Calabouço sem problemas, ele finalmente desceu a última escada onde os corredores largos aos quais ele se acostumou se transformaram em uma espaçosa sala circular mal iluminada.

"Bem, bem, você não é ameaçador?" Rakna falou sarcasticamente com seu tom sem emoção de costume.

No centro da sala estava o chefe desta masmorra; um louva-a-deus verde-escuro de quatro metros de altura com foices afiadas e olhos totalmente pretos com pontos vermelhos no centro.

“Vamos ver se você vale o tempo perdido.”

2 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Contate-me pelo Discord