The Harvester - Capítulo 56: Gruta das Sementes

Tradutor: Ydominuss


Conforme Rakna se aproximava da aldeia, seus olhos vagaram pelas casas e estradas. Comparado com o que ele viu em Black Steel, era como se ele tivesse voltado milhares de anos no tempo, mas com um olhar mais atento, as estruturas desta vila eram obviamente mais do que apenas o que pareciam.

Embora longe de algo tão avançado tecnologicamente, concreto e metal foram usados ​​na construção dos edifícios. “Há marcas de garras em mais do que alguns deles. Monstros? ” Rakna murmurou para si mesmo enquanto entrava na aldeia.

Assim que o fez, uma voz o cumprimentou por trás: "Você é um Anfitrião novato, meu jovem?"

Os olhos de Rakna se estreitaram e ele lentamente se virou para ver um homem idoso baixo parado atrás dele. Ele não havia sentido sua presença antes de chamá-lo; algo que ele quase achou impossível depois do aumento massivo pelo qual seus sentidos passaram.

"…e você é?"

O velho riu com vontade. "Eu sou o chefe aqui", disse ele e passou por Rakna, indo mais para dentro da aldeia.

Rakna fez uma careta e o seguiu, mantendo distância. "Um local, suponho?"

“Sim, é assim que o Sistema nos chama”, disse o chefe com um sorriso ao entrarem no assentamento. Eles cruzaram com algumas pessoas que passavam, cumprindo sua rotina diária. Alguns deles inclinavam a cabeça para o velho quando o viam.

“Você está aqui para o seu teste?”

Rakna foi tirado de seus pensamentos pela pergunta. "Não exatamente. Estava a caminho e fiquei curioso para saber o que uma aldeia como esta estava fazendo aqui. ”

“Que maneira direta e indireta de perguntar para que diabos é esse lugar”, o chefe brincou e acenou com a mão em uma determinada direção. “Nessa direção, existe um Calabouço. De vez em quando, ele transborda de monstros e, se deixado sozinho por muito tempo, pode levar a uma debandada. Pode ter várias consequências diferentes, mas a principal preocupação é a segurança da área ao redor da estação da Lança do Aço Negro. ”

"Entendo ..." Rakna proferiu. "Então, se bem entendi, masmorras dão à luz monstros?"

“É uma maneira estranha de colocar as coisas, mas sim. Masmorras são essencialmente grandes aglomerados de mana capazes de manipular matéria orgânica até certo ponto. Monstros de masmorra são, de certa forma, anticorpos feitos para manter os intrusos afastados. Você pode ver transbordamentos como consequência da doença no Calabouço. ”

“E então sou eu que coloco as coisas de forma estranha”, Rakna respondeu com uma voz monótona e o chefe riu ao parar em frente a uma casa relativamente maior.

“Jovem, posso ver que você é novo no Sistema, mas parece ter uma força igual a alguém que passou pelo menos alguns meses aqui. Então, você está disposto a fazer algo por mim? ”

❮ ◈ ❯

Gaelius Kein, Chefe da Segunda Colônia P.1, estende uma Missão para você.

Objetivo: Vá para o Calabouço, Gruta das Sementes e abata o número de monstros presentes nos três primeiros andares.

Recompensas: 100 Exp, 1000 Talys, ???

Você aceita?

Sim / não

❮ ◈ ❯

“Em outras palavras, você quer que eu faça o seu trabalho por você”, disse Rakna.

“Ora, ora, isso é uma coisa maldosa de se dizer. Estou aposentado, para começar, e não estou pedindo que você faça isso de graça, estou? Você precisa completar as missões para se promover, não é? ”

Rakna grunhiu para reconhecer sua palavra e aceitou o pedido mentalmente. “Só os três primeiros andares, então? Quantos eu teria que matar? "

“Cerca de 50 no total devem ser suficientes. Acredito que você será capaz de fazer muito e muito mais facilmente. Eu não entrego essa missão para qualquer um, sabe? Eu sei que você tem a habilidade para isso. ”

"Eu vejo. A que distância fica o Calabouço? ”

Gaelius cantarolou. "Vamos ver. Cerca de trezentos metros a nordeste. Você não vai perder. ”

"Entendido", Rakna verificou a bússola de seu mapa e estava prestes a sair quando Gaelius falou novamente.

"Espere, qual é o seu nome, jovem?"

“Rakna. Rakna Xiorra. ”

"Isso tem um significado?"

Rakna fez uma careta para o velho chefe. “Até onde eu sei, Rakna não. Mas já me disseram que Xiorra pode significar 'próximo universo de pensamento'. Que irônico agora que penso nisso. Por que?"

Gaelius sorriu. “Você pode pensar nisso como a loucura de um velho qualquer. Digamos que eu valorize o valor dos nomes. Desejo a você um bom mergulho no Calabouço. E sobreviva bem ”, disse ele antes de entrar na casa atrás dele.

Rakna franziu as sobrancelhas. “Essa frase ... está começando a ficar desagradável,” ele murmurou para si mesmo e saiu na direção do Calabouço. Assim que saiu, reforçou o corpo e correu para o nordeste.

Após vinte segundos, ele chegou perto do que parecia ser a entrada de uma caverna subterrânea. Ele se aproximou e enfiou a cabeça para dentro. Ele examinou o interior de todas as perspectivas possíveis e a única coisa que viu foi um buraco sem fim embaixo dele.

Ele ativou a Visão Fabulosa para tentar ver o fundo e Pronos da mesma forma usou sua visão noturna natural para dar uma olhada. Ele conseguiu decifrar e contar cerca de vinte metros da superfície até lá.

Houve apenas uma pergunta que veio a ele quando viu isso. "Como os monstros conseguem sair disso?" Ele murmurou e recostou-se. Ele bateu nas paredes externas da entrada e circulou ao redor dela antes de retornar para a frente. "Alexa, com certeza, como faço para entrar no Calabouço?"

[Pule.]

“… Não tenho certeza se devo elogiá-lo por ser tão franco ou denunciá-lo por pedir às pessoas que pulem por um túnel escuro sem saber o que está no fundo”, disse ele com um tom monótono, mas mesmo assim pulou para dentro do buraco sem perder o ritmo.

Ele se equilibrou verticalmente e lançou Artzpul com calma antes de atingir o solo. Ele havia descoberto antes que ainda podia usar essa habilidade sem abrir as asas.

Ele pousou levemente em seus pés e inspecionou os arredores com seus olhos ainda brilhando dourados. A caverna tinha cerca de dez metros de largura e o teto tinha cerca de três metros de altura. Além disso, havia um grande portão de pedra nos fundos.

Ele caminhou em direção a ele e lentamente colocou sua mão sobre ele, o que foi seguido por um prompt do sistema.

❮ ◈ ❯

Você deseja entrar no Calabouço, Gruta das Sementes?

Nota: Se você recusar, será transportado de volta à superfície.

Sim não

❮ ◈ ❯

"Sim", respondeu Rakna.

❮ ◈ ❯

Selecione uma dificuldade:

Fácil ⦔ - ⦓ Normal ⦔ - ⦓ Difícil ⦔ - ⦓ Diabólica

❮ ◈ ❯

"Dificuldade? Aquele velho não especificou uma, certo? " Ele meditou por um breve momento e selecionou a dificuldade normal. Apenas um idiota escolheria as dificuldades mais difíceis sem saber nada sobre colocado atrás desta porta.

No segundo em que ele fez sua escolha, o portão de pedra se abriu para dentro e revelou um túnel reto com paredes surpreendentemente lisas e cinzeladas. Também havia lanternas penduradas no teto, iluminando o caminho à frente. E se a cor nada natural da luz e as flutuações da chama fossem alguma indicação, Rakna tinha quase certeza de que não eram nem um pouco naturais.

Ele também notou que este 'corredor' parecia ser bastante curto. Ele podia ver um beco sem saída a apenas trinta metros à frente.

Quando ele estava totalmente dentro, o portão se fechou atrás e, logo depois, várias partes das paredes do corredor desabaram. Os olhos de Rakna se aguçaram e Pronos saltou com um chiado. Alguns segundos depois, os dois começaram a ouvir sons estranhos de ronronar vindos das partes abertas.

A expressão de Rakna se contraiu enquanto ele observava pernas longas e cabeludas emergirem lentamente de todos os lados, colando nas paredes. Logo, os donos daquelas pernas apareceram; aranhas gigantes negras e vermelhas rapidamente preencheram o caminho na frente deles. Depois de menos de um minuto, pelo menos vinte delas haviam saído.

No início, todos pareciam muito dóceis, mas quando Rakna se moveu para transformar Sonata, mais da metade delas abruptamente abriu o aparelho bucal e soltou um grito agudo. Elas começaram a correr para ele com uma velocidade surpreendente.

Rakna abriu a boca para inalar e exalou um fôlego cristalizado. “Tristemente para você,” ele sussurrou e seu corpo começou a liberar ar frio. “Este lugar não funciona a seu favor,” ele declarou e uma espessa névoa imediatamente invadiu o túnel, engolfando todas as aranhas enquanto elas avançavam contra ele.

Rakna chutou o chão enquanto estava envolto em sua Névoa Fria , seguido de perto por Pronos, que podia navegar facilmente na névoa com sua visão de eco. Ele escorregou por uma parede e pulou em uma aranha que não sabia onde ele estava, se era baseado no som ou na visão. Ele mergulhou suas presas na nuca e liberou uma dose de Veneno de Eion forte o suficiente para matá-la em um segundo.

Enquanto isso, Rakna saltou sobre toda a horda e se agarrou ao teto com suas garras antes de usá-la como apoio para ficar atrás de todos eles. Ele girou Sonata e disparou em suas linhas traseiras enquanto balançava sua arma em um amplo arco que cortava quatro delas simultaneamente.

Uma das aranhas imediatamente se virou quando ele fez isso e escondeu um fio de seda que ele facilmente se esquivou com a acuidade cinética de sua Visão fabulosa . Ele então criou cinco facas com Criação Estelar que não tinham nenhuma habilidade particular como Dáinsleif ou Gungnir e as jogou com precisão para o mesmo número de aranhas. Elas esfaquearam as cabeças dos artrópodes antes de se dissolverem em partículas frias.

O resto da luta durou trinta segundos com Rakna esmagando a cabeça da última aranha com seu aperto e garras. Ele sacudiu a mão para se livrar do sangue, não mostrando absolutamente nenhuma reação à cena repulsiva, e dispersou a névoa com um único pensamento.

Quando a visão ficou clara novamente, Pronos e Rakna se viram em meio aos muitos cadáveres das Aracnes com as pernas dobradas até o estômago ou se contorcendo de um espasmo pós morte.

Quando a última aranha finalmente parou de se mexer, muitas pilhas de Talys emergiram de seus corpos de uma forma bastante perturbadora. Ao mesmo tempo, no final do corredor, a parede desabou para revelar uma escada.

❮ ◈ ❯

Você concluiu o primeiro andar. Você gostaria de sair?

Sim não

❮ ◈ ❯

“O nível delas não era nem alto o suficiente para eu receber exp,” Rakna reclamou depois de se recusar a sair e colocou Sonata no ombro enquanto os Talys eram coletados pelo Sistema junto com as poucas outros saques que foram sugados em seu anel espacial. Ele caminhou sobre as aranhas mortas e se dirigiu para a escada.

“Vamos torcer para que os próximos andares representem mais desafiadores.”

Pronos o seguiu com uma expressão inexpressiva.

Rakna olhou para ele como se soubesse o que estava pensando. "Sim, eu sei que escolhi normal, mas você não pode esperar que eu escolha difícil ou diabólica sem saber o quão forte os monstros dentro são, não é?"

A pequena cobra inclinou a cabeça para o lado enquanto tentava imitar um encolher de ombros. Rakna suspirou e parou na frente das escadas.

"De qualquer forma, vamos descer."

2 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Contate-me pelo Discord