The Harvester - Capítulo 45: Abismo

Tradutor: Ydominuss


A porta se fechou atrás de Rakna quando ele entrou na loja. Ele cantarolava enquanto caminhava até o balcão e se sentava em um dos banquinhos de madeira.

"O que? Você não vai dizer o quão feliz você está em me ver? " Kaelith disse enquanto se inclinava em direção a ele com os cotovelos no balcão e a cabeça apoiada nas mãos.

“Por enquanto, você está em um período de experiência. Então, não, ”Rakna respondeu inexpressivamente.

"Huh? Período de experiência? ” Ela franziu as sobrancelhas em confusão. "O que você quer dizer?"

“Gray me disse que os lojistas não deveriam ser os mesmos. Então, isso levanta a questão, isso é uma coincidência ou você é uma perseguidora? ”

Kaelith quase plantou o rosto no balcão. Ela suspirou e endireitou as costas enquanto cruzava os braços sob o peito. "Sabe ... não sei por que esperei nem por um segundo que sua primeira atitude em relação a mim fosse apenas um humor."

Rakna grunhiu e Pronos pulou em sua cabeça e acenou alegremente com o rabo para ela.

"Viu? Pelo menos, um de vocês está grato, ”ela bufou, em seguida, apontou para as orelhas de Rakna. “A propósito, lobo, o que aconteceu com suas orelhas? As pontas são brancas. Você as tingiu? "

Rakna reflexivamente olhou para cima, embora não pudesse olhar para as orelhas e encolheu os ombros. “Aconteceu depois que despertei minha magia. A mesma coisa aconteceu com minhas caudas. ”

Kaelith acenou com a cabeça lentamente. "Eu vejo. Espere ... você acabou de dizer caudas? No plural?" Ela rapidamente olhou por cima do balcão e forçou Rakna a se inclinar para trás, para que eles não batessem a cabeça. Seus olhos se arregalaram quando ela viu as duas caudas pretas com pontas brancas se debatendo atrás dele.

“De jeito nenhum ... Isso significaria que você é um puro-sangue,” ela murmurou e se afastou novamente. Ela lançou lhe um olhar penetrante. "Você está escondendo algo de mim?"

Rakna teve a decência de não rir dela; espiritualmente, pelo menos. "Raposa, essa é a pergunta errada."

"Tudo bem então, por favor, diga, qual é a pergunta certa?"

“A melhor pergunta seria; quantas coisas estou escondendo de você. ”

Kaelith olhou para ele e ele respondeu com um rosto inexpressivo. Eles continuaram o olhar fixo por um tempo com Pronos olhando para frente e para trás em cada um deles.

No final, Kaelith cedeu com um gemido e casualmente se sentou no balcão, propositalmente dando a ele uma visão de seu corpo que Rakna apenas reagiu com uma contração de seus olhos.

“Eu acho que não pode ser evitado. Um pouco como os supervisores, não tenho permissão para verificar seu status. Então? O que você quer comprar desta vez? ”

“Três poções de saúde como as que comprei da última vez, junto com uma dúzia de explosivos compactos de sua recomendação,” Rakna disse sem perder o ritmo.

Ela assentiu e estalou os dedos. "Sylvie vai trazer o que você quiser em um momento."

"Além disso, gostaria de perguntar por que diabos você não me disse que as poções demoram para funcionar corretamente?"

Kaelith inclinou a cabeça para o lado. "Bem ... porque você não perguntou?"

Rakna ficou em silêncio. Ele só poderia se culpar no final. Quando ele decidiu usar a automutilação para trazer à tona seu outro eu, ele pensou que uma poção seria o suficiente para curá-lo após sua queda. Mas depois de beber, ele percebeu que não iria curá-lo rápido o suficiente, forçando-o a usar uma das Cartas de Copas.

“Mais importante, por que você não me fala sobre seu Caminho e Magia?” Ela mudou de assunto com uma excitação perceptível.

"Por que eu deveria?"

"Oh vamos lá! É uma das pequenas coisas que gosto de fazer. É bom ouvir sobre os muitos caminhos diferentes e novas magias despertadas pelos anfitriões ”, disse ela. “É como um divertido jogo de adivinhação, você sabe.”

"Entendo," Rakna acenou com a cabeça, quase fazendo-a pensar que ele aceitaria. “Eu não estou contando a minha, no entanto,” apenas para esmagar suas esperanças.

Ela arrulhou em decepção e se deixou deitar no balcão na frente dele. Ele franziu a testa para sua óbvia tentativa de despertar ele. Ela ficou parada com um beicinho enquanto ela olhava para o teto com suas caudas balançando; Rakna se esquivando de algumas delas enquanto eles quase batiam em sua cabeça.

Então, uma ideia a atingiu e ela sorriu enquanto o encarava. "Você gostou do anel que eu te dei?"

Rakna imediatamente entendeu sua intenção e se encolheu internamente."...Eu gostei."

“Então, diga em troca”, ela continuou. "Você não vai me dizer que é sem vergonha o suficiente para não me retribuir um pouco, certo?"

“Você é a desavergonhada aqui, depois de afirmar explicitamente que me daria de graça”, ele retrucou e ela riu.

"Bem, bem, eu sou uma raposa, lembra?" Seu sorriso se alargou quando ele revirou os olhos. "Venha agora. Talvez eu possa lhe dar alguns conselhos sobre seu Caminho ou Magia. Ou talvez de seus amigos. ”

Rakna fez uma careta para ela. “… Você não pode fazer nada sobre meu Caminho nem minha Magia. Um deles é único e o outro aparentemente nunca foi visto antes. ”

Kaelith arregalou os olhos ao se sentar. “Uh,” ela proferiu enquanto olhava para ele. “Interessante… Eu posso entender um Caminho Único honestamente. Mas não há muitos novos elementos mágicos aparecendo hoje em dia. Na verdade, a última vez que isso aconteceu foi há quase quinhentos anos, pelo que ouvi. ”

“Não é um 'novo' elemento. É um que existiu, mas nunca foi despertado antes ”, disse Rakna.

Ele não tinha ideia se isso era o suficiente para restringir a magia estelar, mas ele realmente não se importava. Por mais que ele gostasse de brincar com essa megera, ela não parecia tão indigna de confiança que ele nem lhe daria uma dica.

"Eu vejo, você não vai entrar em detalhes, vai?" Ela disse, meio divertida, meio enfurecida.

“Bem, eu poderia te contar sobre os caminhos dos meus amigos, se você quiser. Isso se você realmente tiver algum conselho útil para eles ”, propôs. "Eu não sei sobre a magia deles ainda."

"Fale", ela acenou com a mão quando finalmente saiu do balcão, o que Rakna ficou silenciosamente aliviado. Não importava o quão quebrado ele estava, ainda era muito difícil para ele controlar os hormônios de forma que eles seriam inexistentes. Ele só podia suprimi-los e isso já era mais irritante do que deixá-los sair se durasse muito.

“Um deles tem o Caminho da Bruxa do Caos”, ele decidiu contar primeiro o Caminho de Flavia.

"Bruxa do Caos, hein?" Ela coçou o queixo. "Interessante. Uma Bruxa do Caos tem um potencial considerável para fundição multi-elementar. Normalmente, uma mulher que desbloqueia esse caminho terá pelo menos uma afinidade mágica tripla. Qual é o valor potencial desse amigo? ”

"S", Rakna respondeu secamente. Ela realmente parecia ter pensado muito nisso.

"Ela tem uma habilidade do Nirvana?"

"Sim. Telecinesia. ”

Kaelith assobiou. "E a Guilda dela?"

“Wiccan.”

“Uau, aquela garota pode ir longe,” ela afirmou. “Vamos ver ... algo que a Guilda Wiccan ainda não vai contar a ela ... Ok, repasse isso para sua amiga; no 13° Platô, há uma Masmorra chamado Túmulo de Marie. Há uma busca oculta que pode ajudá-la muito. As condições para desbloquear essa missão são entrar sozinho e ter um Caminho de Classe Mago. Ela também precisa estar acima do nível 50, mas abaixo de 60. ”

"Que simples?" Rakna ergueu uma sobrancelha. “Parece algo que qualquer um saberia.”

“Bem, o fato é que a Tumba de Marie está cheia de inimigos que resistem ao dano mágico. É por isso que as condições para essa busca são difíceis de cumprir e não são bem conhecidas. No entanto, com a telecinesia, ela deve ficar bem. ”

"Eu vejo. Eu direi a ela então. Obrigado."

Kaelith sorriu brilhantemente. “De nada, de nada. Agora, você tem outros? ” Ela perguntou com uma emoção cativante em sua voz.

Rakna bufou e continuou: "Desta vez, é um Caminho Épico, Monge do Abismo."

"O que?" A expressão da raposa fez um 180 °. “Você acabou de dizer Monge do Abismo? Eu ouvi direito? "

"Sim?" Rakna inclinou a cabeça com sua seriedade repentina.

“Eu não quero te preocupar, lobo ... Mas os Caminhos do Tipo Abismo são perigosos,” ela proferiu.

"Como assim?"

"Lembra do que eu falei sobre habilidades amaldiçoadas?"

"Sim."

“Bem, os Caminhos do Abismo são geralmente considerados Caminhos amaldiçoados. Eles são realmente poderosos, mas a única razão pela qual não são classificados como Lendários é por causa de sua natureza distorcida. ”

A expressão de Rakna escureceu. "Será que ele vai se perder lentamente?"

Kaelith balançou a cabeça. "Não exatamente. É um pouco diferente da sua Armadura Colérica . O Abismo não fará nada como invadir sua mente enquanto sofre danos. Será um risco constante. Honestamente, lobo, só há um conselho que posso lhe dar; fique de olho no seu amigo. No futuro, há uma chance de que ele não só enlouqueça, mas também ... ”

"Também o que?"

“Transforme-se em uma criatura do Abismo,” ela disse com um tom sombrio.

"O que isso significa exatamente?" Rakna perguntou novamente. Sem que ele soubesse, seus olhos foram ficando cada vez mais vermelhos e o ar ao seu redor ficou mais frio.

Kaelith notou as duas coisas, mas não comentou sobre elas. "Você sabe o que é um vampiro?"

A pergunta inesperada permitiu que Rakna se acalmasse. "Vampiros? Você está insinuando que ele se tornaria um? "

“Algo semelhante, sim,” ela acenou com a cabeça. “As criaturas do Abismo contam em suas fileiras, seres como Thralls, Ghouls, Vampiros, Wendigos e muitos outros ... Francamente, Vampiro é o melhor que você pode esperar se você se tornar uma Criatura do Abismo. O desejo por sangue é uma dor pra se lidar, mas não irremediável. No entanto, monstros como Ghouls precisam de carne para viver. ”

“Existe uma maneira de impedir que isso aconteça?”

“Bem ...” Kaelith ponderou. “Há ... uma coisa que você pode tentar. No 125° Platô, a Legião de mortos-vivos pode ser capaz de dar-lhe uma última solução. Embora não apague o efeito do Abismo, permitirá que seu amigo tenha algum tipo de controle sobre sua eventual transformação. Isso é o melhor que posso te dizer. Vou tentar encontrar mais informações por conta própria, se quiser. ”

“Eu aprecio isso se você fizer,” Rakna disse com um tom pesado. Ao mesmo tempo, Sylvie, a pequena raposa de estimação veio dos fundos da loja e pulou no balcão com duas caixas equilibradas em suas caudas.

Kaelith suspirou de alívio quando a atmosfera escura foi quebrada e abriu as duas caixas como da última vez, mostrando uma com as poções de saúde dentro e outra com quinze discos de prata finos do tamanho de uma palma.

“Esses discos são uma espécie de granada. Tem um botão atrás. Pressione-o uma vez e ele explodirá com o impacto após ser lançado. Pressione-o duas vezes e será definido um temporizador de seis segundos. Pressione três vezes e ele será desarmado. Serão 1100 Talys para tudo aqui. ”

Rakna acenou com a cabeça enquanto colocava tudo em seu anel espacial depois que uma janela do sistema confirmou o pagamento. Kaelith sorriu amargamente com a nota amarga em que essa conversa terminou e olhou para Pronos, que parecia estar navegando na Loja por conta própria se seu olhar concentrado fosse alguma indicação.

"E o caminho desse carinha?" Ela perguntou, querendo mudar o clima.

"Ouroboros," Rakna respondeu simplesmente e ela congelou.

“Claro,” ela murmurou. “Bem, não posso ajudar muito neste. Ele deveria ter desbloqueado a Magia do Infinito também, certo? Eu não estou a par sobre qualquer coisa relacionada a ela, mas uma coisa que eu sei é que uma decentemente forte serpente reside no 148º Platô. Você pode obter algo de valor com ela. ”

Rakna grunhiu positivamente. "Obrigado pela ajuda. Sério, ”ele disse com um tom quase amigável. “Eu tenho que dizer, você mudou minha opinião. Estou feliz que você seja minha lojista. ”

Kaelith foi pega de surpresa por seu elogio repentino. Porém, foi dito com a mesma voz monótona dele. Caso contrário, ela poderia tê-lo enfeitado com um rubor. Em vez disso, ela se acomodou com um sorriso suave. "Sem problemas. Acho que não estou mais em liberdade condicional, hein? " Ela sorriu.

Rakna assentiu enquanto se sentia um pouco divertido. "Acho que sim", disse ele, em seguida, olhou para Pronos. "Você encontrou algo útil, garotinho?"

A pequena cobra pareceu suspirar enquanto balançava a cabeça. Ele fechou a janela do sistema com um aceno de cauda e recuperou seu lugar sob o Sonata.

“Nesse caso, irei agora. Gray está esperando lá fora, ”Rakna disse e se levantou.

“Gray Whisles, hein? Então, você se juntou ao Trono da Glória. Não posso dizer que é uma escolha ruim, mas tome cuidado, eles são um bando poderoso com certeza, mas eles tendem a se meter em problemas, ”ela comentou e ele deu de ombros.

“Pelo que ouvi, sou um problema vivo”, disse ele, o que a intrigou. Ele bufou. “Talvez eu te conte um dia, raposa. Por enquanto, é muito divertido ver você ficar chocada com tudo o que eu faço. ”

Kaelith pigarreou. "Pirralho atrevido."

“Tudo em uma boa diversão.” Ele acenou para ela se despedindo enquanto voltava para a porta da Loja. “Até mais, raposa. Obrigado novamente."

"Claro, sobreviva bem, lobo", ela bufou enquanto sorria e ele começou a deixar a loja.

6 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Contate-me pelo Discord