The Harvester - Capítulo 19: Zeera

Tradutor: Ydominuss



❮ ◈ ❯
Nome : Aquila
Idade : 68 | Nível : 20 (selado)
Raça : Águia Real Divina 
Título : Avatar do Deus Águia
 
Atributos:

Força : 20 | Resistência : 20
Velocidade : 13 | Destreza : 12
Inteligência : 24 | Sorte : 5
 
Sub-atributos:

Vigor : 85/85 | MP : 240/240
Rapidez : 74 | Agilidade : 37
Sentidos : 69 | Cap Atr : 94
Ataque : 115 | Defesa : 80
Ataque Mágico : 72 | MP Regen : 1,2 / min
 
Proficiências:

- Voo ( Nv. Máx. )
- Mergulho ( Nv. Máx. )
- Controle de Mana ( Nv.7 )

Habilidades mágicas:

- Magia de Vento(Nv.7) => [Tempestade (T.8) ; Jade Rouse (T.9) ; Lâmina de Vento (T.10)]
- Magia da Terra(Nv.4) => [Terremoto (T.9) ; Âncora (T.10) ]
 
Habilidades cognitivas (passivas):

- Visão Distante (Nv.7): Uma visão não perturbada pela distância ou velocidade. Diz-se que essa habilidade permite ao usuário captar movimentos moleculares e subsônicos a milhares de quilômetros de distância em seus níveis mais elevados.
 
Habilidades espontâneas (ativas):

- Scan (Nv.6): A habilidade analítica mais comum fornecida pelo Sistema. Sua maior desvantagem é que ele não pode rastrear alvos de nível mais alto e é facilmente combatido por Hospedeiros que possuem uma habilidade de nível superior da mesma natureza, Avaliação incluída.

- Atzpul (Nv.3): Decolagem rápida. O tempo necessário para voar é reduzido para quase um segundo.
Custo : 5 Vigor

Traços únicos ou raciais:

- Visão Divina : O usuário pode ver dois segundos no futuro e sua faixa de percepção torna-se 360 ​​° a qualquer momento.
 
- Avatar do Deus Águia : vinculado à estátua do Deus Águia. O Avatar também recebe recuperação acelerada enquanto estiver perto da estátua.
 
Nota : Aquila é um dos Enviados Divinos que se diz ter sido criado em um Planalto Secreto do Sistema onde os seres de natureza divina capturados pela convocação anual supostamente vivem. Esta Aquila é apenas um clone. A maioria de seus atributos e habilidades estão selados pelo sistema para corresponder ao nível dos anfitriões novatos.
❮ ◈ ❯

"Coisa assustadora." Comentou Allan enquanto corriam pela floresta.

“Sim ... isso não parece algo que possamos derrotar com toda a honestidade”, acrescentou Flavia.

"Sim, também, o que são essas coisas entre colchetes ao lado das habilidades mágicas?"

“Magias.” Rakna respondeu brevemente enquanto saltava sobre uma grande raiz.

Allan brincou: "Quer ser um pouco mais específico?"

“Elas são habilidades autônomas. Alexa os chamou de Habilidades de Submagia e o número entre parênteses representa seu nível. Ela disse que essas magias tinham seus próprios efeitos, bem como seu próprio multiplicador de ataque mágico. Antes que você pergunte, minha avaliação é muito baixa para olhar os detalhes. ”

"Então ... pelo que sabemos, aquele nível 7 de magia dele, 'Tempestade', pode ser capaz de causar 300% de dano mágico ou algo assim?"

"Praticamente," Rakna assentiu impassivelmente e Allan suou.

“Cara, podemos ao menos passar pela defesa dela? Pelo menos eu sei que não posso. Apenas a capacidade das minhas luvas seria remotamente capaz de fazer alguma coisa. ”

"Está bem. Já confirmei antes, a defesa é um valor relativo. Não é porque seu ataque é muito baixo que ele não fará nada. Pelo menos até um certo limite provavelmente. Além disso, meu ataque é alto o suficiente, ”Rakna respondeu e Allan suspirou em derrota.

“É por isso que você quer aliados então; Eu vejo." Flavia acenou com a cabeça em compreensão. “Os números provavelmente nos darão a vantagem de que precisamos para combatê-la.”

Rakna acenou com a cabeça e enquanto ele circundava uma árvore, ele ouviu um tiro à distância. Pronos virou a cabeça em direção à fonte com o rosto contorcido.

"O que está errado? Você não gosta do som? " Allan perguntou quando percebeu e a pequena cobra silvou baixinho antes de olhar para frente novamente.

Rakna olhou para seu animal de estimação e cantarolou. “Ele provavelmente deve ter desenvolvido antipatia por isso no centro de pesquisa em que estava.”

"Pesquisa…?" Flavia começou. "Pensando bem, antes de ser levado para cá, você disse que tinha uma ideia de onde ele veio, certo?"

"Sim. Diga-me, vocês dois já ouviram falar de um projeto chamado Zeera? ”

“Zeera? Não posso dizer que sim" - Allan balançou a cabeça. "E você, professora?"

Flavia assumiu uma expressão contemplativa antes de responder: “Fiquei sabendo disso. Se não estou errado, foi um projeto que se acredita ser tão potencialmente focal quanto a fabricação bem-sucedida das ogivas nucleares Eion. Pelo menos, foi o que meu avô me disse quando ainda era um general ativo em Aurora. Não tenho ideia do que realmente acarreta. ”

Rakna acenou com a cabeça. “Zeera é um acrônimo para 'Zoomorphic Eion Encroachment of Reconstructed Acid'. Nome exagerado, eu sei. Digamos que seu objetivo principal fosse usar o Eion para reestruturar o DNA de tal forma que ele tivesse as mesmas propriedades dos Sistemas Eion. ”

"Espere," Allan falou. “Para ter certeza de que estou entendendo isso direito, por Sistemas Eion, você quer dizer a reação das Pedras de Eion?”

"Correto. Como vocês dois sabem, há mais de cem anos, descobrimos as primeiras duas pedras de Eion e descobrimos que elas produziam energia Eion quando próximas uma da outra. Desde então, conseguimos replicá-las para ter energia ilimitada onde quer que quiséssemos. Minha cigarreira, por exemplo, tem duas miniaturas de pedras para acender o isqueiro. O projeto Zeera levou este conceito ainda mais longe ”, disse Rakna ao enviar uma olhada na Pronos.

“Eles queriam criar um agente biológico capaz de transformar células em 'polos de Eion' e, assim, permitir que os humanos se tornassem super-humanos, não apenas com a capacidade de alimentar praticamente qualquer dispositivo imaginável apenas por tocá-lo, mas também ganhar poderes como força desumana, vitalidade, maior longevidade e manipulação de Eion. Foi dito que o estabelecimento do projeto Zeera foi o mais próximo que os humanos chegaram da magia real. ”

"Uau ... acho que isso nunca aconteceu então?" Allan comentou. “A menos que haja super-homens em casa e eu não tivesse ideia.”

“Não, você está certo. Isso nunca aconteceu. Como afirma o nome, o projeto envolvia apenas experimentos em animais e, embora funcionasse algumas vezes, havia 99,9% de chance de um sujeito morrer. Quando se concluiu que era impossível melhorar essas chances, eles desistiram de vez. Afinal, ninguém estava realmente disposto a tentar ver se eles eram os sortudos. Nem mesmo mencionando os efeitos potenciais ainda não testados que poderiam ter sobre os humanos. ”

"Eu vejo. Então, o que você está tentando dizer é que Pronos é um desses sobreviventes? ” Flavia indagou.

"Sim. Conforme fornecido pelo Sistema, ele é uma Cobra Eion. Capacidades físicas e mentais aumentadas, além de uma manipulação muito terrível do Veneno de Eion ”, afirmou Rakna com uma expressão impassível. “É por isso que ele deve odiar tiros. A injeção às vezes fazia com que um animal enlouquecesse e eles teriam que ser abatidos. Ele deve ter visto alguns de seus companheiros sofrerem esse destino. ”

Pronos abaixou a cabeça e quase parecia estar chorando. Todos ficaram em silêncio por um breve momento por sua causa.

"Mesmo assim, para ser honesto, ainda estou chocado" - Allan quebrou o silêncio com um tom leve. "Eu nunca teria esperado algo tão louco como isso poderia realmente ser possível para os humanos."

“Bem, você está curioso para saber o que inspirou este projeto?”

"A inspiração ... você diz?" Flavia inclinou a cabeça.

"Sim. Houve um homem que chegou muito perto de ser esse tipo de sobre-humano. Aquele certo homem teve seu peito atingido por um Sistema Eion que acidentalmente e de forma bastante inacreditável, ficou preso em seu coração sem matá-lo. Isso deu a ele habilidades físicas e de recuperação desumanas. Mas, para usar esse superpoder, por causa da versão enfraquecida do Sistema que ele implantou, ele precisava de um influxo externo de Eion que iria, digamos, dar partida no motor. ”

"Droga, deve ter sido um cara muito assustador."

Rakna teria sorrido se pudesse. "Você o conheceu, Allan."

"Huh?"

“Você também, Flavia. Vocês dois o conheciam muito bem, na verdade. "

Os olhos de Flavia se arregalaram. "Não tem jeito…"

“O velho mestre era um sobre-humano ?!” Allan exclamou. “Puta merda, não admira que ele fosse tão forte para um cara com mais de cem anos! De repente, me sinto melhor com todas as surras que recebi ... ”

Rakna bufou e Flavia sorriu ironicamente, mas por dentro, ela estava pensando muito. Ela olhou para as costas de seu aluno favorito e franziu a testa.

'Aurora assumiu mais de 90 anos atrás. Não há ninguém que não saiba como a organização ameaçou todos os países do mundo com seu monopólio sobre as armas nucleares Eion. Mas, o principal fator para seu sucesso era seu líder. O mesmo homem que as pessoas chamariam de Demônio e que apareceria sem ser convidado nas casas dos inimigos apenas para deixar um mar de cadáveres para trás. Nunca pego, nunca derrotado. Ele até mesmo uma vez sobreviveu a uma explosão grande o suficiente para arrasar um prédio inteiro. '


Ela semicerrou os olhos. 'Exatamente como um sobre-humano ...' O rosto sorridente e familiar de um velho terrivelmente inteligente e em forma não natural apareceu em sua cabeça. 'Não pode ser ... pode?'


"Fogo!" Um grito perfurou sua conversa e o trio parou em seu caminho. Vários tiros se seguiram e podia-se ouvir os gritos de goblins e águias misturados. Em algum ponto, até o som de uma explosão ecoou pela floresta.

Allan estalou a língua. “Explosivos também, hein? Acho que a tentação era grande demais para meros alunos. A maioria deles provavelmente comprou armas de fogo na loja. ”

“Bem, a maioria das crianças é assim”, comentou Rakna.

“Você fala como se não fosse”, brincou Flavia.

"É preciso ser mulher para dizer a outro que ele é homem?"

"... desculpe, não tenho certeza se entendi o que você está tentando dizer."

Rakna fez uma pausa. “Deixa pra lá ... Armas à parte, explosivos não são uma má ideia. Eu deveria ter comprado também. Enfim, vamos em direção à luta ”, afirmou e chutou o chão. Ao mesmo tempo, ele assobiou e várias sombras ao redor da floresta se moveram.

* * *

"Eu odeio minha sorte," Leis amaldiçoou enquanto sacava sua katana e a colocava de volta em sua bainha enquanto duas cabeças de goblin giravam no ar. Ele então rolou rapidamente no chão para se esquivar de uma clava enorme balançada por uma versão massiva de um goblin vestindo armadura de couro.

"Somos dois." Leia acrescentou e tentou acertar o grande monstro com seu martelo, apenas para ser agarrado por suas mãos nuas. “Merda,” ela amaldiçoou e largou sua arma antes de usá-la como um ponto de apoio para recuar.

"Cuidado!" Uma voz calma anunciou e Leia olhou por cima do ombro com uma carranca. Uma flecha então passou por sua bochecha e perfurou o olho do monstro.

“AAARRHHHHH!” A criatura de pele verde rugiu de dor e largou o martelo em sua mão quando começou a balançar descontroladamente a arma, esmagando os goblins e algumas águias infelizes.

"Que merda, Dan!" Leia gritou para uma árvore onde aquele que atirou a flecha estava empoleirado. "Você poderia ter me matado com isso!"

"Mas eu não matei."

“Como isso é uma desculpa válida ?!”

“Acalme-se, Leilei,” o homem bem construído da gangue disse enquanto levantava um escudo para enfrentar o inimigo.

“Cale a boca, Gantt! Não me chame, Leilei! ” Ela gritou de volta antes de correr de volta para o monstro e agarrar seu martelo enquanto ele estava ocupado tentando passar pela defesa do escudo.

Leis também se esgueirou por trás dele e tentou cortar seu pescoço, mas antes que sua lâmina pudesse alcançá-lo, o goblin enorme se agachou e bateu no escudo de Gantt com o ombro.

Gantt estremeceu por causa do choque que foi transferido para seu braço. Ele estalou a língua e enterrou os pés no chão. "Chefe! Isso não vai a lugar nenhum! ”

"Ele tem razão! Essa coisa é um hobgoblin nível 10, com a armadura, sua defesa é quase 50! ”

"Entendo!" Leis respondeu e saltou para trás. “Esqueçam a economia, pessoal! Fogo!"

Por ordem dele, toda a gangue puxou as armas que comprou e disparou com uma proficiência fantástica para um grupo de alunos. O hobgoblin imediatamente cruzou os braços e se agachou para proteger a cabeça e o coração.

"Jogue as granadas!" Leis ordenou e vários membros jogaram seus explosivos no monstro.

Quando as explosões ocorreram, eles ouviram o rugido do hobgoblin antes de ser afogado no som das detonações. Logo depois, todos esvaziaram suas armas e os tiros pararam.

"A-acabou?" Um membro gaguejou.

Leis ergueu uma sobrancelha para a nuvem de fumaça e após um bom momento de silêncio, todos começaram a relaxar. Então, a fumaça subitamente se moveu de forma anormal e Leis estremeceu. “Não relaxe! Ainda não está morto! ”

Antes mesmo que pudesse terminar a frase, o hobgoblin já havia começado a correr em direção ao alvo mais próximo que poderia encontrar. Leia empalideceu ao ver o rosto queimado do hobgoblin atacando-a e tentando levantar o martelo. Mas ela obviamente não faria isso a tempo.

"Leia!"

No segundo seguinte, o hobgoblin estava ao alcance; ela fechou os olhos com medo e se preparou para o que estava por vir. Mas nada disso aconteceu e, em vez disso, ela ouviu o monstro rugir de fúria.

Ela abriu os olhos novamente e a visão de dois lobos mordendo os pulsos do hobgoblin foi apresentada a ela. Logo depois, uma sombra saltou sobre o hobgoblin e pousou em sua cabeça.

"Por que você não tira uma soneca?" Ela ouviu essa voz de induzir arrepios e então observou exatamente dez objetos estranhos em forma de lâmina fina perfurarem a cabeça do monstro com um som audível de ossos quebrando e carne sendo esfaqueada. A sombra saltou da cabeça do hobgoblin e pousou no chão ao mesmo tempo que o cadáver caiu.


N.T.: Fatality.

6 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Contate-me pelo Discord