The Harvester - Capítulo 13: Sombras

Tradutor: Ydominuss


Poucos minutos após o incidente com Herts, o grupo de Rakna já estava a algumas centenas de metros da escola. Eles estavam correndo pela floresta com Rakna na frente, Allan atrás e Flávia no meio.

“Ei, Rak, no final, por que deveríamos nos aventurar na floresta assim? Não é mais seguro ficar no terreno da escola por enquanto? ” Allan perguntou e Rakna olhou por cima do ombro. “Ou é por causa de pessoas como Herts?”

“Não é por causa disso”, respondeu ele. “Na minha opinião, o lugar mais perigoso que poderíamos estar agora é precisamente a escola.”

"Por que?" Flávia ergueu a voz.

“Bem, eu não sei como isso funciona, mas ...” Rakna murmurou antes de desacelerar. Os dois atrás dele também pararam, um pouco confusos. “Imagine um edifício moderno no meio de uma floresta, você não acha que é um alvo perfeito?”

“Alvo para quê?” Allan respondeu com outra pergunta, mas Rakna nem mesmo precisou falar para que a resposta fosse fornecida.

Um farfalhar alto nas folhas soou na frente e pelo menos dez figuras saíram dos arbustos e de trás das árvores. Risos agudos de repente ecoaram e Flávia e Allan estremeceram.

As criaturas que estavam na frente deles eram pequenas, ainda menores do que os kobolds. Mas eles tinham uma aparência consideravelmente mais feroz. Pele verde, nariz comprido, dentes afiados, armas pontiagudas e um físico surpreendentemente intimidante.

'Esses são ... 'Allan ergueu uma sobrancelha. "Goblins?"

"Parece que sim", Rakna proferiu e agarrou seu cachecol enquanto os goblins os cercavam lentamente. Mais deles estavam saindo de seus flancos e retaguarda.

O trio gradualmente se aproximou um do outro até ficarem costas com costas, olhando para os goblins que cresciam em número a cada segundo.

"Merda, quantos deles vão sair?" Allan resmungou enquanto tirava um par de luvas dos bolsos. Ele os colocou e Rakna também passou a transformar Sonata em sua forma Guandao. Enquanto isso, Pronos sorrateiramente pousou no chão e usou sua camuflagem.

“Agora entendo”, disse Flávia. “Isso é o que você quis dizer. Esta floresta inteira provavelmente está cheia desses monstros. E todos eles provavelmente estão correndo em direção à escola enquanto conversamos. Se tivéssemos ficado lá, provavelmente teríamos que lidar com centenas, senão milhares deles. ”

"Droga ..." Allan observou os goblins que estavam prontos para atacar a qualquer momento. “Espero que ninguém tenha ficado para trás.”

Os olhos de Rakna brilharam quando ele silenciosamente lançou Avaliação. “Eles são de nível 5. Sem habilidades. Eles são ágeis, então tome cuidado ”, ele instruiu e, embora eles não soubessem como ele sabia disso, Allan e Flávia assentiram sem hesitar.

Depois de suas palavras, a floresta de repente ficou em silêncio. Os goblins pararam de rir de repente, mas seus sorrisos não desapareceram nem um pouco. Depois de alguns segundos, todos eles chutaram o chão ao mesmo tempo.

Os primeiros goblins a alcançar o trio estavam do lado de Rakna em sua formação. Não era preciso dizer que um lampejo de azul fez três cabeças voarem instantaneamente. A fumaça saiu dos corpos decapitados quando eles caíram no chão.

Allan assobiou. “Droga, você se tornou ainda mais estranho,” ele comentou enquanto ele mesmo lidava com seu lado. Ele agarrou a cabeça de um dos goblins com uma das mãos e bateu contra a outra. As luvas que ele estava usando brilharam um pouco antes de ele dar um soco que de alguma forma lidou com dois outros monstros, como se seu ataque tivesse produzido uma onda de choque.

Ao mesmo tempo, Flávia estendeu a mão e dois dos goblins de repente tiveram sua visão girar 180 °. Antes que soubessem o que estava acontecendo, eles caíram no chão com o pescoço quebrado.

Rakna, Allan e até mesmo os monstros de pele verde pararam abruptamente para olhar para ela em estado de choque.

"Eh?" Ela exclamou inocentemente. "Fiz algo de errado?"

“… Explicações mais tarde. Foco, ”Rakna finalmente disse e esfaqueou dois goblins com um golpe perfeitamente direto. Ele então parou de esperar que eles viessem para ele e avançou. Ele girou Sonata com uma mão e agarrou a cabeça de um goblin com a outra. Ele estendeu as unhas e todas perfuraram a cabeça da criatura. Ele retraiu suas garras tão rápido quanto as havia tirado e o goblin caiu morto com cinco pequenos orifícios na cabeça.

Allan percebeu isso com o canto dos olhos, mas não comentou. Ele socou um goblin no estômago e o fez voar, derrubando alguns de seus irmãos no processo. Ele então deu uma cotovelada em um monstro vindo de seu lado. Ele agarrou sua garganta e jogou-o por cima do ombro antes de pisar em sua cabeça, quebrando seu crânio.

Os movimentos de Allan não podem ser descritos como rápidos ou suaves. Em certo sentido, eles eram o oposto dos de Rakna. Embora o último fosse rápido, preciso e eficiente, ele era devastador. Cada um de seus ataques teve grande força. Seus punhos eram lentos, mas sempre alcançavam o alvo e se certificavam de esmagá-lo.

Então, teve Flávia. Ela não havia se movido de seu lugar desde o início da luta. Tudo o que ela fez foi olhar e acenar com as mãos, mas os goblins ainda caíram sem que ela sequer tivesse que tocá-los. Mas era óbvio que, pela sua expressão e postura, estava gradualmente a cansando.

Inevitavelmente, um goblin finalmente conseguiu se aproximar dela. Quando a criatura estava prestes a balançar sua arma, Rakna pensou que ele teria que atirar Sonata para ajudá-la. Mas o colar de Flavia brilhou e formou um escudo esférico ao redor dela que bloqueou o ataque do goblin. Ela então puxou uma faca de sua camisa e apunhalou a pele verde no olho sem hesitação. Ela então fez um movimento com a mão e o cadáver colidiu com dois goblins correndo.

Allan riu enquanto chutava um goblin para o chão. "Uau, lembre-me de nunca deixá-la com raiva."

“Não se preocupe”, Flávia respondeu com um sorriso ao cerrar o punho e quebrar a garganta de um dos monstros. "Você não vai esquecer."

Allan riu nervosamente quando os três se aproximaram novamente. Os arredores estavam repletos de cadáveres e cobertos de sangue verde. Havia apenas um goblin de pé e quando Flávia estava prestes a acabar com ele, ele desabou de repente e Pronos se revelou deitado de costas.

Rakna não ficou surpresa, mas era outra história para Allan e Flávia. Ambos também notaram quantos goblins mortos tinham veias brilhantes azuladas.

"Hum ... você também, garotinho, lembre-me de não irritá-lo," Allan proferiu e Pronos sibilou com um sorriso malicioso. “Aham, de qualquer maneira, havia muitos deles, hein? Acabei de atingir o nível 6. ”

Flavia seguiu: “Eu também”.

“Eu alcancei o nível 7,” Rakna acrescentou e seus dois amigos olharam para ele.

"Por que não estou surpreso?" Allan brincou. “Embora como você fez isso? Tenho quase certeza de que matei todos os kobolds que encontrei, mas ainda precisava de dez pontos para chegar ao nível 6. ”

“Eu acabei de deixar a área da escola e cacei outros kobolds na floresta,” Rakna respondeu enquanto pegava Pronos novamente.

"Cara, eu também fiz isso," a loira disse e Rakna deu de ombros.

"Eu não sei então."

"Caramba, mais importante, o que diabos foi isso, Flávia?" Allan se voltou para sua ex-professora.

"Bem ..." Flávia coçou a bochecha timidamente. "Não tenho certeza de como explicar."

"Eu posso fazer isso por você", afirmou Rakna e ela olhou para ele confusa. Sem dizer nada, ele lançou Avaliação e o status dela apareceu na sua frente.


❮ ◈ ❯
Nome : Flávia Selia
Idade : 24 | Nível : 6 (5/60)
Raça : Mulher Humana | Título : Nulo
Potencial : S
 
Atributos:
Força : 2 | Resistência : 3
Velocidade : 2,2 | Destreza : 5
Inteligência : 12 | Sorte : 4
 
Pontos disponíveis: 1
 
Itens Equipados:
- Colar da Bravura: gaste 5 MP para erguer um escudo ao redor do usuário.
Recarga : 3 minutos.
 
Estatísticas:
Vigor : 15 / 15,2 | MP : 117/120
Rapidez : 10 | Agilidade : 12,2
Sentidos : 22,2 | Cap Atr : 28,2
Ataque : 16,7 | Defesa : 11
Ataque mágico : 36 | MP Regen : 1,08 / min
 
Proficiências:
- Cozinhar (Lv.9)
- Ensino (Lv.6)
- Judô (Lv.4)

 
Habilidades mágicas:
- Despertado .
 
Habilidades cognitivas (passivas):
- Resistência à fadiga (Lv.7)
- Resistência ao medo (Lv.2)
- Resistência à dor (Lv.2)
 
Habilidades espontâneas (ativas):
- Nenhum
 
Habilidades do Nirvana:
- Telekinesis (Lv.1) : Uma das habilidades espirituais mais comuns despertadas como uma habilidade do Nirvana. Ele tem o potencial de até mesmo dobrar as leis espaciais.
Levantamento atual: (Inteligência * 5) kg.
Esta é uma habilidade espiritual alimentada por energia psíquica, portanto, nenhum mana está envolvido no processo. Mas cuidado, o uso excessivo é extremamente precário. O alcance da manipulação é limitado apenas pela imaginação e controle do Hospedeiro.
Traços únicos ou raciais:
- nenhum
❮ ◈ ❯

Rakna ficou ligeiramente impressionado. Não só o potencial dela estava apenas um passo abaixo do dele, mas ela também tinha uma Habilidade do Nirvana. Do seu entendimento, isso não era nada perto de medíocre. Sua regeneração de mana também foi incrivelmente alta.

“Telecinesia ... é um poder muito útil. Você o despertou durante a iniciação? " Rakna perguntou e Flávia assentiu lentamente.

"Sim, mas ... como você sabia?"

“Tenho uma habilidade que me permite ver o status dos outros.”

'Ah, então foi isso que você usou nos goblins' - exclamou Allan. "Então, basicamente, Flávia despertou sua magia antes de nós ou algo assim?"

“Não, o que ela tem é uma habilidade do Nirvana. Eu acredito que está em uma plano completamente diferente em comparação com a magia normal, ”Rakna respondeu.

“O que é uma habilidade do Nirvana?” Allan imediatamente perguntou.

“Pelo que o lojista me disse, é uma habilidade muito rara e poderosa que na maioria das vezes é inata a um Hospedeiro”, foi Flávia quem respondeu. “Ele também disse que o meu era muito especial, pois não precisava de mana.”

"Então, o que é necessário?"

"Espere," Rakna interrompeu a conversa e os dois olharam para ele. “Vamos sair daqui por enquanto. O sangue pode atrair mais inimigos, pelo que sabemos. Vamos encontrar um lugar mais seguro antes de termos essa discussão. Há algumas coisas que quero falar sobre este Sistema também. ”


Eles concordaram com a cabeça e o trio começou a correr de sua localização, ignorando os gritos ocasionais que vinham das profundezas da floresta. Era como se sua voz moribunda fosse aumentada propositalmente para assombrar os participantes.

* * *

Enquanto isso, uma garota de cabelo preto olhava para os goblins à sua frente com seus olhos vermelhos. Os monstros investiram contra ela com gritos agudos. Ela os observou com uma expressão imparcial até que um deles estava prestes a bater nela.

A área foi repentinamente coberta pela escuridão e quando a luz voltou, os goblins foram apunhalados por pontas de sombra; todos mortos incondicionalmente.

A menina suspirou e olhou para o sol que estava começando a se pôr. "Por que ... aquele Demônio me enviou aqui?" Ela fez uma pergunta que ela estava dolorosamente ciente de que não seria respondida e desapareceu entre as árvores, deixando as sombras se dissolvendo para trás.

4 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Contate-me pelo Discord