The Harvester - Capítulo 11: Suma!

Tradutor: Ydominuss


A primeira coisa que Rakna viu depois que a luz finalmente se apagou foi uma figura voadora que o envolveu apenas para bloquear sua visão novamente. Pronos, que estava com seu lenço, também foi pressionado de repente com muita força.

"Idiota! Eu estava preocupada!" Uma voz gritou.

"Flávia?"

Rakna imediatamente reconheceu a voz e lutou por alguns segundos para fazer ela soltá-lo. Mas ele estava com medo de machucá-la por engano, então desistiu rapidamente.

“… Flávia. Estou muito feliz. Sério. Mas você pode tirar seus seios do meu rosto para que eu possa respirar? "

N.T.: triste...


Com suas palavras, ela se afastou com um beicinho no rosto e uma expressão levemente corada. Ele respirou fundo e a pequena cobra também. Ele passivamente percebeu que ela também havia mudado de roupa como ele. No geral, ela ainda tinha o mesmo estilo, mas a qualidade das roupas havia se tornado muito mais bonita e sua saia estava mais longa enquanto estava aberta de um lado para permitir mais movimento. Ela também tinha um pingente pendurado no pescoço.

“Não é minha culpa, você estava tão atrasado! A Iniciação terminou ontem, mas você não estava lá ”, disse Flavia enquanto se acalmava gradualmente, sabendo que ele estava seguro.

Rakna bufou internamente. Na verdade, ele conhecia Flávia há quase cinco anos. Na verdade, ela era sua vizinha e, quando seu tio desapareceu, foi ela quem o ajudou a resolver as coisas com a sociedade.

'Bem, tão feliz quanto estou por me reunir ...' Ele pensou e olhou em volta. Ele estava parado no meio do pátio da escola e quase todos os alunos e professores sobreviventes pareciam estar reunidos nele, espalhados pela área.

Alguns o olhavam maravilhados por sua chegada tardia, outros eram condescendentes, achando que ele tinha se saído mal durante a iniciação e os demais estavam com ciúmes por ele ter sido abraçado por um professor muito popular.

Mas, deixando tudo isso de lado, havia algo que confundiu Rakna. Todos estavam visivelmente esperando por algo ou, para ser exato, pareciam estar esperando por ele. Além disso, a maioria deles estava olhando para algo no céu. Quando ele estava prestes a seguir sua linha de visão, ele ouviu uma voz arrepiante.

“Todo mundo está aqui, finalmente.”

Seus olhos se arregalaram e ele rapidamente olhou para cima. Ele avistou uma silhueta flutuando no ar. Seus olhos demoraram alguns segundos para se acostumar com a luz do sol antes que ele pudesse discernir o que era exatamente. Desta vez, em contraste com Kaelith, ele estava totalmente confuso com esse ser.

A silhueta era um robô humanoide com três metros de altura. Ele segurava uma bengala e usava um traje vermelho e amarelo que Rakna não deixou de reconhecer como um traje de palhaço. Dos sapatos comicamente grandes ao nó borboleta e ao nariz vermelho… Foi uma visão estranha. Além disso, a boca do robô era uma tela que exibia um sorriso aberto.

O palhaço olhou para ele e a cor daquela tela mudou de branco para roxo. Ele girou sua bengala e apontou para ele. "Por que demorou tanto? Você adormeceu enquanto se escondia dos kobolds? " Ele perguntou com a óbvia intenção de provocá-lo. Alguns dos alunos até riram.

O robô palhaço esperava uma explosão, mas o que aconteceu foi um rosto completamente vazio, desprovido de emoções e uma resposta nada cômica: "Você poderia dizer isso." Suas palavras chamaram a atenção e curiosidade de alguns indivíduos no pátio, mas o sorriso do palhaço mudou de um sorriso para uma linha plana.

“Que pirralho sem graça você é. Eu prefiro quando vocês humanos ficam chateados. Seus rostos quando vocês veem sangue é hilário, ”exclamou com um sorriso de cor preta antes de retornar a uma expressão mais pensativa. “Bem, eu realmente ficaria desapontado se você realmente fosse como eles. Eu tenho que dizer que seu tipo é mais difícil de intimidar ”, acrescentou o que levantou as sobrancelhas de muitas pessoas.

Rakna facilmente captou a mensagem oculta em suas palavras. Este robô parecia ser alguém em uma situação semelhante a Kaelith e obviamente tinha visto através de sua ilusão. Provavelmente queria que ele entrasse em pânico por sua diversão.

No entanto, Rakna olhou para trás com uma cara impassível e o palhaço pigarreou.

"De qualquer forma, está na hora."

Imediatamente depois, todos receberam um aviso de seus sistemas.


❮ ◈ ❯
Missão do tutorial: Escape
Descrição : esta é a segunda e última avaliação oferecida aos recém-chegados. Aqueles que obtiverem sucesso poderão entrar no Planalto de Mudas e se tornar oficialmente um Anfitrião dos Platôs.
Objetivo: Terras Selvagens estão ao seu redor. Explore-os, sobreviva e supere o perigo para encontrar a saída da dimensão.
Nota : Você tem o tempo que precisar.
Informações adicionais : Os três primeiros competidores a encontrarem a saída receberão o título de 'Mudas Coroadas'.
Recompensas padrão : Acesso ao 1º Platô, 1 000 Talys.
❮ ◈ ❯

“Um aviso humanos, sobrevivam bem ,” o palhaço proferiu e desapareceu com um giro de sua bengala.

Depois, todos se espalharam em seus próprios grupos. Rakna olhou em volta por alguns segundos antes de se virar para Flavia. “Bem, se importaria de me informar? Parece que sou o único perdido aqui. Quem era aquele Palhaço de aparência estúpida? "

Ela sorriu ironicamente e se lembrou um pouco antes de falar: "Bem, a única coisa que ele disse sobre si mesmo ontem foi que seu nome é 'Gray' e que ele é o zelador de nosso grupo neste lote."

"Nosso lote, hein?"

“Sim, você também foi informado sobre o Sistema, certo?” Ela perguntou e Rakna assentiu. “Pelo que ele nos contou, a cada ano um novo lote de Hospedeiro com alto potencial é convocado pelo Sistema. Aparentemente, o lote atual diz respeito apenas à Terra e estamos divididos em grupos. Suponho que nossa escola não foi o único lugar que foi convocado. ”

"Entendo ..." Rakna murmurou, em seguida, sentiu um par de olhos sobre ele. Ele olhou por cima do ombro e encontrou o olhar de uma garota de cabelo preto. As íris vermelhas dela o surpreenderam um pouco no início, mas seu foco então mudou para outra coisa, 'Eu não me lembro dessa garota estar na nossa escola ...'


Como ele estava começando a suspeitar, o braço de alguém o envolveu abruptamente.


"Ei amigo! Afinal, você está vivo! Fiquei preocupado por um segundo. ”

Rakna gemeu quando ele olhou para o recém-chegado ao lado dele. Era um adolescente loiro de olhos azuis e estatura atlética. Ele se encaixava perfeitamente na descrição do estereótipo do garoto popular.

"Allan ... então, você sobreviveu, hein?" Rakna murmurou sem nenhuma mudança em seu tom. “Por que você não se deixou ser comido? Teria tornado minha vida mais fácil. ”

“Ora, ora, tenho certeza de que você está feliz em me ver”, respondeu o adolescente sem pestanejar. Ele também era um dos poucos ... conhecidos de Rakna. Allan era um personagem especial; ele ficou órfão aos dez anos de idade após um acidente de carro e foi quando os dois se conheceram.

O loiro tinha sido a descrição mais precisa de 'deprimido' na época, mas seu encontro com Rakna de alguma forma o transformou no cara mais popular de seus anos de escola depois de alguns meses. A verdade do que aconteceu entre os dois era um segredo deles que nem mesmo Flávia sabia.

"Bem, piadas e você sendo um tsundere à parte," Allan continuou e Rakna teve que resistir ao impulso de lhe dar uma cotovelada no estômago. Em vez disso, ele olhou para o velho amigo para ver que ele tinha uma expressão terrivelmente séria no rosto. “Estou muito feliz que você esteja vivo”, o loira proferiu com uma expressão séria e Flávia assumiu uma expressão entristecida.

Rakna percebeu como o clima mudou de uma reunião feliz para algo muito mais sombrio. Os punhos de Allan também estavam cerrados e trêmulos. "...quem?" Ele perguntou com uma voz composta e muito calma que fez Allan sorrir ironicamente, encontrando alívio no fato de que seu amigo era o mesmo de sempre.

"Kelly, Hurbert, Bea e Kyle", ele listou severamente e Rakna fechou os olhos. Ele se lembrou dos rostos ligados a esses nomes. Ele nunca falava com eles em si, mas frequentemente os via rondando Allan.

Ele abriu os olhos e se virou para Flavia. “E quanto ao resto da escola? Quantos?"

Ela abaixou um pouco a cabeça. “Ainda não contamos adequadamente os alunos desaparecidos, mas ... Eu diria que cerca de metade deles estão desaparecidos.”

Allan suspirou e tirou o braço dos ombros de Rakna antes de olhar para ele. “O que você vai fazer, Rak? O que quer que você decida, eu o seguirei. ”

Rakna fez uma careta para ele. “Não confie ...”

“Demais em mim,” Allan completou enquanto acenava com a mão. “Sim, sim, eu sei. Você já me disse isso muitas vezes, mas não houve uma única vez em que foi uma má ideia. "

Rakna grunhiu e Flávia deu uma risadinha, percebendo que o clima tinha melhorado muito. “Tenho que concordar com ele”, acrescentou ela. “Nós dois sabemos que tipo de treinador você teve. Provavelmente não há ninguém mais confiável do que você nesta escola. ”

“Eu apostaria nisso também,” Allan riu.

Rakna suspirou internamente. "Por enquanto, vamos sair daqui."

Flavia inclinou a cabeça. "O que você quer dizer?"

Ele estava prestes a responder a sua pergunta quando uma voz o interrompeu: "Srta. Jeina, você está aqui!"

Ele se virou para a fonte com uma sobrancelha levantada. Rakna viu um grupo de alunos liderado por alguns professores caminhando em sua direção. Quem chamou Flávia era um professor esguio com um sorriso largo.

'Aquele cara ...' Rakna semicerrou os olhos. 'Qual é o nome dele mesmo?' Ele pensou e Allan sorriu ironicamente, já que sabia perfeitamente o que estava pensando apenas por sua expressão. Depois de vários anos, o adolescente loiro aprendeu a decifrar os pensamentos do amigo apenas olhando em seus olhos.

"Senhor Herts?" Flávia exclamou com uma voz um pouco surpresa. "Você estava procurando por mim?"

“Sim, eu estava,” o homem acenou com a cabeça e parou na frente do trio com seu grupo o seguindo.

A atenção de Rakna e Allan imediatamente se concentrou nas armas que carregavam. Eles se entreolharam e silenciosamente deram um passo para o lado enquanto Flávia falava com Herts.

"Bem, há algo que eu possa fazer por você?" O primeiro perguntou.

"Eu queria convidar você."

"Me convidar?"

“Sim, meu grupo e eu íamos explorar a floresta juntos. Quanto mais pessoas tivermos, melhores serão nossas chances. O que você acha? Você se juntaria a nós? Claro, os dois alunos ali também podem vir - declarou Herts educadamente, mas nem Rakna, Allan ou mesmo Flávia deixaram de perceber a má intenção oculta por trás dessas palavras.

Allan furtivamente deu uma olhada nos outros atrás de Herts e franziu a testa ao ver os olhares nojentos lançados em Flávia. "Olhe para eles. Eles realmente pensam que não podemos notar? ”'Ele sussurrou.

“Aqueles com poder emprestado tendem a entender mal seus limites,” Rakna respondeu em uma voz igualmente abafada e Allan olhou para ele.

"Você está falando sobre as armas deles?"

Rakna acenou com a cabeça e continuou a observar a conversa em curso entre Flávia e Herts.

“Estou bem, prefiro ficar com esses dois jovens”, declarou o último. “Nesta situação, acredito que a confiança entre os membros de um grupo é mais importante do que o seu número. Por conhecer parentes desses dois meninos, provavelmente são eles que mais confio aqui. ”

Os olhos de Herts se arregalaram com a firmeza de seu tom. Esta conversa não estava indo do jeito que ele queria. Ela claramente decidiu recusar seu convite, não importava o que ele dissesse. Seus olhos ficaram um pouco mais sombrios e os indivíduos armados atrás dele ergueram um pouco as armas, tornando-o quase imperceptível.

Allan estalou a língua e estava prestes a perguntar a Rakna o que fazer quando viu que os olhos roxos geralmente frios e desinteressados ​​estavam significativamente mais focados. Se não fosse Allan, poucas pessoas teriam percebido que o adolescente estava olhando feio.

"Pronos", Rakna proferiu para aparentemente ninguém, mas ele estava alto o suficiente para que todos olhassem para ele. Ele então caminhou em direção a Herts e ficou uma cabeça mais alto do que ele. O professor recuou um pouco com uma expressão cautelosa.

“Você é ... Rakna Xiorra, certo? O infame melhor aluno indolente ”, disse ele com um sorriso. “Ficaríamos felizes em recebê-lo como-”

"Cale a boca."

Herts imediatamente se acalmou e sua expressão afundou.

“Infelizmente para você e para mim, esses dois idiotas decidiram me seguir,” Rakna falou calmamente e Flávia deu um sorriso torto enquanto Allan suspirava exageradamente. “Então, eu vou assumir a partir de agora. Minha resposta ao seu convite é ... suma, bastardo."


Postando 2 caps hoje pq amanhã não terei tempo, pois vou passar o dia inteiro estudando pra uma prova que tenho segunda.
6 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Contate-me pelo Discord