Divindade: Contra o Sistema Divino - Capítulo 124: Pai

Tradutor: Ydominuss


"Que problema?" Ryder perguntou quando uma carranca envolveu sua testa.


"Eu vi a senhora da cidade conversando com um homem idoso. Ela tinha um mapa na mão e estava contando algo a ele. Acho que há uma boa chance de que ela estivesse contando a esse senhor sobre nós", Makko disse a eles.


Ryder caiu em pensamentos profundos quando ouviu sobre isso. Ele olhou na direção da cidade. Não havia ninguém vindo em sua direção de lá. Ele também estava confiante de que Makko era um especialista em furtividade. Não havia muitas pessoas que poderiam pegá-lo. As chances de ele ser seguido sem que ele soubesse eram quase insignificantes.


"Quão poderoso era aquele velho?" Ryder perguntou.


“Eu acho que ele era mais forte do que aquele cara,” Makko disse enquanto apontava para o velho vampiro que os atacou, que estava caído no chão inconsciente, amarrado como um brinquedo. Rale o fez perder a consciência porque estava falando muito alto.


"Vejo que você não o comparou com Rale. Ele não deveria estar nesse nível, eu acho, mas é realmente problemático. Eu acredito que eles não entrarão no Vale das Almas Errantes," Ryder murmurou.


"Você fez bem. Dê-me um deles e distribua o resto para os outros. Vamos trocar de roupa."


Ryder pegou um par de roupas das mãos de Makko e caminhou atrás de uma árvore para trocar de roupa.


Os outros também trocaram de roupa.


Todos eles estavam usando roupas brancas agora. No topo, eles usavam um belo casaco longo branco com golas compridas.


"As roupas não são ruins. Eu gosto mais do senso de moda dos Vrykolakas do que do estilo de vestir dos Vampiros," Ryder murmurou enquanto caminhava de volta.


Os outros também já estavam vestidos.


Eles nunca pararam de cavar, no entanto. Uma pequena equipe estava sempre cavando, dando tempo para os outros se vestirem, e depois que os outros se vestiram, trocaram de lugar com eles.


Logo, eles cavaram uma cova de 1000 metros de profundidade. Eles jogaram o corpo do velho dentro. Rale colocou uma tonelada de pedras pesadas sobre o velho antes que enchessem a cova com o solo.


Não demorou muito para que a cova fosse preenchida por eles, e logo o solo começou a ficar como antes. Nenhuma evidência pôde ser vista sobre ele ter sido aberto.


"Bom trabalho a todos. Eu sei que vocês podem estar cansados, mas precisamos ir agora. Podemos descansar quando chegarmos ao nosso destino", Ryder disse a todos.


Rale caminhou em direção a Ryder e pegou suas mãos quando ele começou a voar alto no ar. Os outros voaram atrás deles, mantendo a velocidade.


****


De volta à cidade de Vrykolakas, uma garota estava sentada dentro de seu quarto em um hotel.


A garota tinha olhos vermelho-claros que pareciam tão profundos quanto o mar de chamas. Ela parecia ter cerca de 19-20 anos, a julgar por seu rosto, mas era impossível julgar a idade de alguém por seus rostos aqui.


Os mortos-vivos como os vampiros envelheciam como um ser humano médio até os 18 anos; depois disso, o envelhecimento diminuiu. Apesar de ainda envelhecerem, a velocidade era quase insignificante em alguns casos.


Estava claro que a garota havia atingido a idade adulta dos vampiros, e seu envelhecimento havia desacelerado.


A garota olhou para a janela. Um olhar chateado estava envolvendo seu rosto.


"Nossa, o tio Ren saiu para dar uma caminhada e ainda não voltou. Ele está ficando velho e lento", disse ela.


Ela se levantou e começou a caminhar em direção à janela. Ela abriu as janelas e olhou para fora.


A garota viu uma jovem e um velho conversando entre si. Eles tinham mapas nas mãos.


"Parece que o Dono da cidade está de volta", ela murmurou. Ela olhou em volta, mas não encontrou a pessoa que procurava.


Ela voltou para a cama e começou a esperar novamente.


Mais duas horas se passaram, mas a pessoa que ela esperava não voltou.


"Eu não posso esperar mais! Temos que deixar a cidade, e ele ainda não voltou. Eu terei que ir procurá-lo sozinha", ela deixou escapar.


A garota se levantou e saiu do quarto.


Ela caminhou pela cidade em busca do Velho, mas não o encontrou em lugar nenhum.


"Para onde ele poderia ter ido? Eu verifiquei a cidade inteira e ainda não consigo encontrá-lo. Ele saiu da cidade e voltou por conta própria? Não, ele não vai fazer algo assim. Talvez ele esteja de volta ao hotel agora, "a garota murmurou enquanto caminhava de volta para o hotel depois de procurar em todos os lugares.


A garota entrou em seu quarto, mas estava tão vazio quanto no momento em que ela o deixou.


"Alguém o machucou? Quem poderia ser forte o suficiente para machucá-lo? E por que alguém faria algo assim?" ela franziu a testa enquanto caminhava de volta para a janela.


"O Lorde da Cidade! Nesta cidade, só ele é forte o suficiente para machucá-lo. Ele está tentando começar uma guerra? Será que ele realmente pode ser estúpido o suficiente para fazê-lo quando sabe a diferença de força entre as duas raças? Ele deve saber o quão ruim a ira do pai é! " ela deixou escapar enquanto olhava para a multidão de pessoas andando por toda a cidade.


"Eu preciso de uma explicação dele. Eu não vou desistir", ela determinou.


"Não posso ir lá sozinha, no entanto. Se ele realmente tivesse enlouquecido, então com certeza me capturaria se eu fosse. Preciso informar meu pai sobre isso", disse a garota.


Ela tirou um papel do bolso e rasgou-o.


Uma pequena luz saiu do papel rasgado e voou em direção ao céu. A pequena luz deixou a cidade e voou para longe dela. Depois de meio dia, a luz atingiu um palácio de aparência escura.


Nuvens negras e trovejantes cobriram o céu acima do palácio, mas nenhum trovão caiu sobre o castelo.


Um homem estava sentado no trono dentro do palácio. Seus olhos estavam fechados como se ele estivesse pensando profundamente, mas seus olhos se abriram abruptamente assim que o pequeno ponto de luz entrou no palácio.


Seus olhos vermelhos profundos eram assustadores o suficiente para fazer com que todos que olhassem neles começassem a tremer.


Havia uma aura poderosa em torno daquele homem, fazendo-o parecer uma divindade inacessível.


O homem observou o ponto de luz vindo em sua direção. Ele estendeu a mão e deixou o ponto de luz pousar em sua palma.


Ele observou o pequeno ponto de luz com toda a seriedade. Em menos de e segundos, ele estava se levantando. Ele voou para fora do palácio.

1 visualização0 comentário

Contate-me pelo Discord