Divindade: Contra o Sistema Divino - Capítulo 118: Exp no Mundo Real

Tradutor: Ydominuss


"Eu li sobre Divinity online. Parece um lugar fascinante. Como está indo sua aventura por dentro?" Ela perguntou.


"Está indo melhor do que eu esperava. Ainda assim, se pudesse, não estaria jogando", disse Ryder.


"Por quê? Pelo que eu vi, você estava tão animado com o jogo antes de ser lançado. O que mudou?" ela perguntou quando sua curiosidade atingiu o pico.


"Muitas coisas aconteceram. É complicado, mas há claramente algo errado com o jogo. Não sei como ou por que, mas não parece mais um jogo", Ryder deixou escapar baixinho.


"Isso não é uma coisa boa? Eu não sei muito sobre jogos, mas isso apenas significa que o jogo é mais realista", Alice deu sua opinião.


"É um pouco realista demais para meu conforto", Ryder murmurou.


"De qualquer forma, você vai se formar em um ano. O que você está planejando fazer a seguir?" Ryder perguntou.


Mesmo sabendo qual era o plano dela, ele percebeu que não seria capaz de explicar como sabia disso se falasse sobre isso.


“Não tenho nada com certeza ainda, mas estou pensando em continuar meus estudos. Posso me candidatar a uma bolsa de estudos em várias universidades e veremos como vai correr”, disse Alice.


"Você não precisa se preocupar com bolsas de estudo. Estou bem o suficiente para pagar as taxas. Além disso, as universidades do país parecem ótimas. Não se inscreva em universidades estrangeiras, certo?" Ryder disse a ela.


"Bem, eu ouvi falar da grande reputação da Universidade Tsinghua da China. Eu estava pensando em me inscrever lá também. Existem universidades comparáveis ​​a essa quando se trata de literatura na América, mas conseguir bolsas de estudo nelas é muito difícil, e as taxas são terríveis ", ela respondeu enquanto pensava sobre isso.


"Não, as taxas estão perfeitamente bem. Não tome uma decisão com base nas taxas. Apenas se concentre nos estudos e escolha a melhor universidade em nosso país. Eu cuido do resto", disse Ryder.


Ele se lembrou da última vez que Alice tinha ido para a China ao receber uma bolsa de estudos de lá. Ele não queria que ela fosse embora agora que ele estava no lugar certo financeiramente.


"Se é isso que você quer, então não vou me inscrever em universidades estrangeiras", Alice acenou com a cabeça.


"Assim é melhor", Ryder sorriu enquanto continuava o jantar.


"Obrigado pela comida. Estava gostoso como sempre."


Depois de terminar, ele se levantou e voltou para o quarto.


"Janus? Agora que penso nisso, você ainda não me explicou como posso ganhar experiência na vida real e aumentar minha força. Você vai me contar ou vai perder a oportunidade", Ryder perguntou.


"A experiência pode ser obtida quando o hospedeiro derrota aqueles que o atacam", respondeu Janus.


"Derrotar os que me atacam? Quer dizer que tenho que vencer os caras e só vou ganhar experiência se forem eles que me atacaram primeiro?" Ryder perguntou.


"Sim. Você ganhará experiência ao fazer isso, e seu nível neste mundo aumentará de acordo", disse Janus.


"É um conceito interessante. Ainda funcionará se eu os fizer me atacar ou apenas se eles me atacarem sem que eu tente fazê-los me atacar?" Ryder perguntou novamente.


"Enquanto eles atacarem você, tudo é válido, mas se você os atacou primeiro, e depois eles atacaram você, não contará", respondeu Janus.


"Isso significa que posso usar algumas brechas. Devo começar a subir de nível no mundo real também," Ryder deixou escapar enquanto pegava seus Óculos Divinity.


"Ah, certo, eu também queria te perguntar uma coisa, mas esqueci. Tive uma coisa parecida com uma visão quando estava fazendo o discurso da minha coroação. Você tem alguma ideia do que foi?" Ryder perguntou.


"Sim, mas não posso te dizer", Janus respondeu.


"Por que não? Do que você tem medo? Você não é o sistema divino que pode fazer qualquer coisa?" Ryder perguntou com curiosidade.


Janus não respondeu.


"Tudo bem. Não me responda," Ryder bufou enquanto usava os óculos.


"Leve-me à Divindade", disse Ele.


Ryder encontrou-se em sua cama no Reino dos Demônios.


Ele se sentou e saiu do quarto. Miku estava do lado de fora de seu quarto.


"Vossa Alteza, você está acordado. Alguém está aqui para conhecê-lo", ela informou Ryder.


"Quem é desta vez?" Ryder perguntou.


"É a neta do Arquiduque Oris", disse Miku.


"A neta dele? O que ela está fazendo aqui? Será que ela me trouxe a carta de convite para o aniversário de seu avô? Isso é muito rápido", Ryder murmurou enquanto ia em direção à sala do trono com Miku.


Ao chegar lá, ele viu uma garota parada ali. Suas costas estavam voltadas para ele. Ryder podia até ver seu cabelo tão brilhante quanto a própria lua. Ela também parecia alta. Ela parecia ter a mesma altura de Ryder. Ela usava um lindo vestido branco.


Ryder não disse nada e continuou andando. O som de seus passos atraiu a atenção da garota que se virou para olhá-lo.


Ryder finalmente viu seu rosto. Ela tinha olhos negros profundos semelhantes aos de seu avô. Mesmo que ela estivesse linda, Ryder não olhou muito para ela e continuou andando enquanto passava por ela.


Sem olhar para trás, ele caminhou até o trono.


'Tenho que manter minha dignidade', ele pensou, parando diante do trono. Ele se virou e sentou-se no trono como um rei que governa a terra.


"Quem é você?" Ryder finalmente disse algo enquanto fazia uma pergunta, cuja resposta ele sabia.


A garota curvou-se graciosamente diante dele quando começou a falar.


"Saudações, Alteza, sou Felina, a neta do Grão-Duque Oris.


"O que te traz aqui?" Ryder perguntou.


"Vim aqui para convidar Vossa Alteza para a festa de aniversário do meu avô", disse ela.


"Eu ouvi sobre isso. O Arquiduque Oris falou sobre seu aniversário. Mas não é muito cedo para distribuir convites? Ele disse que me enviaria um poucos dias antes do evento", Ryder perguntou.


"Tenho certeza que ele disse isso, mas é o primeiro convite que fizemos. Achei que seria melhor se fizéssemos o primeiro convite a Vossa Alteza assim que pudéssemos", disse Felina a Ryder.


"Tudo bem. Eu aceito o convite", disse Ryder. Ele tentou manter sua voz o mais autoritária que pôde durante a conversa.

Ele estendeu as mãos para Felina, que se aproximou dele.


O convite era tão pequeno quanto uma pequena moeda, o que parecia ser a tradição aqui. Ela deu o convite para Ryder. Seus dedos se tocaram sem querer, mas Ryder agiu como se não fosse grande coisa. Não houve mudança em suas expressões.


"Acabei aqui; vou me retirar, Vossa Alteza", disse ela.


"Tudo bem. Você pode ir," Ryder falou.


Felina se virou e caminhou em direção à saída. Ryder finalmente relaxou suas expressões enquanto a observava.

3 visualizações0 comentário

Contate-me pelo Discord